Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

Vinil sussurra fragmentos

Um 33 senil, sábio amigo!

26.08.22 | Armindo Mendes | comentar
Ligar o som, prazer maior, a meio volume… Escolho vinil, um 33 senil, sábio amigo! À meia-luz, Monitor Audio soa a perfume… Na posição fetal, na carpete, falo comigo!   O saxofone soa metais, o baixo murmura… Sinto o seu bafo (...)

Pontos de amarelo ouro

Sugando cada grão, sem pressa!

23.04.22 | Armindo Mendes | comentar
Hoje fui abelha ali, molhado, na flor branca quase neve… Com volúpia, suguei todo o seu rico alimento. Ousei ficar mais feliz, sobre aquela pétala breve… Com graça ei-de voltar para saborear o doce momento!   Visitei aquele encanto, (...)

Cinco sentidos!

Esperança, brumas das Atlântidas

12.03.22 | Armindo Mendes | comentários (1)
Tato, poder alma de outrem afagar; Tato, dedilhar-lhe o coração; Tato, olhos sem brilho enxugar; Tato, abraço de pai em rebento filho; Tato, percorrer pele sem destino, volúpia; Tato, cama sôfrega ou dar a mão!   Olfato, prados de (...)

Muros de dourado xisto!

26.02.22 | Armindo Mendes | comentar
Que delícia, querer muito deter o tempo, profundo… Aguarela do iluminismo, com cheiro e tudo! Pintar este cantinho do mundo… Sei não poder, mas esforço-me, sem dor alguma, contudo!   Sôfrego, por agarrá-lo! Tonto, meto a cabeça (...)