Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

Dar a mão não é mandar…

Bolero de unhas em dança, no pico da ilha

18.03.22 | Armindo Mendes | comentar
Mão é extremidade do coração? - Talvez feições do peito, dedos sem voz. Mas na palma há riscos de canção? - Às vezes, trovas entrelaçadas, mesmo sós   Com galanteio, rogar mão amada? Ofertar-lhe mão forte! Deitar mão a tudo e nada? (...)

Dádiva, alvorada precoce

27.10.21 | Armindo Mendes | comentar
O coração dita coisas num cantinho de silvestres flores… E ele, o coração, bate, cresce, sabe disso! Abri-lo é sentir delírios, às vezes dores… Depois, as abelhas lá do Marão vão lavar a alma, qual feitiço!   Que bela colmeia (...)

Num mar ao avesso?

07.10.21 | Armindo Mendes | comentar
Sentado numa rocha vejo a luz do meu mar Estou ali, só, e vejo a minha pele descoberta A água é sal que chega para a dor atiçar A maresia de Norte com a alga partiu para parte incerta?   O Norte, como a estrela, diz-se, é o rumo ao polo certo Mas como é o polo do Norte ou do Sul num mundo ao avesso?

Fugas (II)

07.10.21 | Armindo Mendes | comentar
Fugas são corações que se deixam para trás para continuar em frente? Fugas são ir em frente e olhar corações para trás, em sobressalto Fugas são ir em frente e ficar perdido entre a corrente Fugas são querer parar, andando em terreno alto. (...)

Fugas!

07.10.21 | Armindo Mendes | comentar
Fugas são caminhos estreitos Fugas são labirintos sem fim Fugas são dores nos peitos Fugas são corações assim.   Fugas são memórias Fugas são palpitações Fugas são histórias Fugas são turbilhões.   Fugas são rodopios Fugas (...)

Línguas de amor eteno segredar

01.10.21 | Armindo Mendes | comentar
Língua que se retrai no primeiro beijo. Anichada na caverna, oculta por cortina de batom. A língua espreita doce, miras em lampejo. E, na boca do passo doble, já num baile em bom tom.       Língua de Romeu que ondula em tango um pedaço (...)

São soslaios tão distraídos

30.09.21 | Armindo Mendes | comentar
Transparências são focos de luz para o coração Transparências são partilhas, são dádivas Transparências é como abrir o peito e estender a mão Transparências são como caminhar sem vontades furtivas     Transparências são como (...)