Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

15.11.21

Quase verdade!

Armindo Mendes

Bosque à noite.jpg

Quase noite neste bosque agridoce

Troncos de árvores são formas escuras.

A lua já se ergueu, no seu despertar precoce…

O sol levou do dia curto, as agruras.

 

 

Carvalhos assustadores, nada sublimes…

Formas fantasmagóricas nas folhagens.

Aves noturnas com sonidos, como nos filmes…

De dia tão belo, agora sem fulgência, as imagens!

 

 

Meus passos repisam outono, nas folhas

Aperto o casaco, faz aqui frio!

Olhos escuros, nesta escuridão de escolhas

Quando das copas cai forma de arrepio.

 

Avança-se no trilho sombrio!

Ouve-se a levada, conheço-a, ela vai.

O moinho também, além, que a noite já cobriu

Olhar à volta, medo, a coragem que se esvai.

 

O manto de penumbra cobriu o meu cabelo.

Mãos nos bolsos, busco o foco salvador…

Vais ajudar-me no caminho, quero vê-lo…

A luz corta a noite, mas não certo ardor.

 

No estradão, ao pé da aldeia, volta a luz fria.

De costas ao bosque, é sem glória esta claridade!

Olho o resto de sol que se perde na serra que cobria…

Regresso ao mundo seguro, quase verdade!

 

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.