Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

25.11.21

Não queria ser, eu sei!

Armindo Mendes

Ribeiros paisagem.jpg

Não sei o que sou!

Espelho meu, velho ribeiro, estás fosco.

Vejo-te, olho-me, aqui de novo estou!

Quero desenhar-me, mas sabes, sou tosco!

 

Falta de jeito, há tanto, o meu!

Fito que o tempo me foge do punho.

Grisalho, rugas tantas, sou eu!

Sem brilho, traço este rascunho.

 

Neste pergaminho vincado…

Outrora sarrabiscos de sonhos.

Hoje cicatrizes do passado…

Até de pensamentos medonhos!

 

Isso, diz o que sou, que sei que sou.

Que sou o que não queria ser, eu sei!

Sou um não sei o quê, sem estar, aqui estou.

Sem estar, quando fico, não ser o que ousei!

 

Espelho sem certezas, de acabado gosto...

Vês como estou, sim, no que me tornei!

Baixo a cabeça, pontas dos dedos no rosto…

Saboreio o sal que nesta trama, de novo, escrevinhei!

 

 

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.