Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

31.08.21

Outlander

Armindo Mendes

Outlander.jpg

Ontem, concluí na Netflix a visualização da 5.ª temporada de ‘Outlander’, uma série de época repeleta de ação e romance, que me apaixonou desde o primeiro episódio.

Como uma viagem no tempo fantástica, de avanço e recuos magistralmente ilustrados em imagens, a emoção saltita entre os séculos XX e XVIII, com os seus contrastes, mas também com os sentimentos mais profundos e memórias que unem as duas épocas numa só, afinal a humanidade.

Baseada num romance de época, constituiu uma oportunidade, também, para conhecer melhor o período das últimas rebeliões escocesas contra os ingleses, com a recriação das grandes batalhas nas Terras Altas, nas primeiras temporadas, e a fase que antecedeu a revolução americana nas temporadas seguintes, com personagens interessantíssimas, incluindo indígenas da América de Norte, num enredo contado em paisagens de cortar a respiração, no campo, nas cidades da época nos mares de piratas, entremeadas com incursões no século XX.

Pelo meio, uma fotografia fabulosa, um guarda-roupa belíssimo de época e, a “cereja no topo do bolo”, uma banda sonora lindíssima, a começar pelo seu genérico, com um aroma muito escocês, como eu tanto gosto, a fazer lembrar o filme “Braveheart”, de Mel Gibson.

Foram dezenas de episódios das cinco temporadas, que terminaram com um emocionante 12.º episódio, da 5.ª temporada, que deixou água na boca para mais emoções fortes.

A imagem final é incrível, com o casal Jamie e Claire (personagens principais do enredo) abraçados, após mais um momento de grande sofrimento, em que ela é salva por ele, em clima heroico, como mandava o guião.

Aguardo a 6.ª temporada, que deve estrear ainda este ano, espero!

 

30.08.21

Seu amarelo primavera vai partir e enrugado ficar

Armindo Mendes

Flor sol.jpg

O que é a flor-sol que ali vejo tão singela?

Será que ela se abre para beijar os olhos pretos?

Será aquela beleza tão frágil perfume de lapela?

Ou será para o mel moreno de segredos abertos?

 

 

A flor balanceia ao vento das auroras?

Sim, ela sabe que é efémera na luz que candeia.

A flor-sol sente-se estrela por dias e especial por horas.

Bela ela é como uma dama que ao espelho se penteia.

 

 

Sem abelhas, as gotas da chuva, uma e outra, em destino perfeito!

A flor da forma do sol sabe que o seu alvéolo de beleza está no fim.

O seu amarelo-ouro vai partir e enrugado ficar sem jeito.

Cabisbaixa, vai agasalhar-se, como inverno no reino das terras carmesim.

 

 

Armindo Mendes

02.08.21

Moments in Love

Armindo Mendes

Moments in Love, dos Art of Noise é um daqueles temas musicais que considero muito especiais.

 

Remonta aos "velhos" anos 80 do passado século, quando eu, adolescente, nascia para este estilo musical.

Recordo as noites de Verão em que, na varanda da casa dos meus pais, sentado, de calções numa velha cadeira de praia, ia-me deliciando com esta sonoridade tão insinuante, mergulhado nos amores de então.

O equipamento de som era de fraca qualidade, oriundo de uma cassete, mas o que interessava era um que soava música, ritmada, ao som dos grilos e das cigarras.