Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

Marca d'Água

Apenas um olhar de Armindo Pereira Mendes

06.12.09

> Tardes caseiras dos domingos de Inverno como eu gosto

Armindo Mendes
Numa tarde fria e chuvosa, num domingo de Dezembro, aconchegado no meu escritório caseiro, apetece ouvir coisas assim, como estas músicas e outras dos Tagerine Dream.
Este grupo alemão há muitos anos que faz música, quase sempre com sonoridade electrónica, que nos convida para a tranquilidade.
Roupão vestido, meia-luz, moldo o volume para os 20 db, opto agora pelo 5.1 do sistema Monitor Áudio, para dar outra ambiência acústica, empurrado pela sonoridade quente do conjunto Denon.
Que bom é deixar-nos levar por estas cores acústicas, qual barco tomado pelas correntes calmas do golfo…
… Um prazer caseiro intenso que mais logo será completado, às tantas, com um galão bem quente e uma torrada com manteiga dos Açores.



06.12.09

> Fui convidado para o blogue Felgueiras 2005 e aceitei

Armindo Mendes
Desde hoje que, a convite do meu amigo Sérgio Martins, passo a ser um dos colaboradores do blogue Felgueiras 2005.
Ao Sérgio o meu muito obrigado pelo convite, que de resto me honrou, atendendo que sou um seguidor do Felgueiras 2005 praticamente desde o seu primeiro dia de existência.
Sei que o Sérgio fez convites a outras pessoas de inegável qualidade, incluindo aos meus amigos Miguel Carvalho e Hélder Quintela, que vão enriquecer o painel de colaboradores do Felgueiras 2005.
Espero que esse blogue reassuma a sua importância no quadro concelhio, voltando a ser um espaço de debate, aberto a todos, sobretudo aos que, não se escondendo atrás do anonimato, têm a coragem de dar a sua opinião de cara descoberta.
Quanto a este meu cantinho, a este meu blogue “Armindo Mendes”, continuarei a mantê-lo reservado a um cunho mais pessoal, quase intimista, quase um espelho de algumas partes de mim próprio que vou partilhando com um leque pequeno de amigos, daqueles verdadeiros e amigos sinceros, percebem...
04.12.09

> Para adoçar um travo amargo na boca

Armindo Mendes
Esta música de Chris Norman é de 1986. Esse ano foi muito especial para mim, como, aliás, quase toda a década de 80… ao longo da qual me fiz homem.


Emprestaram-me há dias um CD com temas que foram êxitos nessa década, que incluía este “Midnigt Lady”, que não ouvia há anos…

Soube muito bem "reouvir" e fez-me lembrar momentos de alguma ingenuidade, de que tenho saudades, bem diferentes de alguns episódios presentes tão vincados por cliques nos deixam um travo amargo na boca...


04.12.09

> Comentários imbecis que me remetem para uma profunda reflexão

Armindo Mendes
Hoje recebemos no Expresso de Felgueiras um telefonema de um felgueirense que se julga importante mas, apesar de supostamente ter muito dinheiro, é um idiota que nos disse coisas que nem sequer ouso contar… Coisas muito feias, coisas muito malcheirosas.
Não obstante a imbecilidade desse dito, a quem não reconheço dois dedos de testa, ficamos sentidos, porque, em muitos anos de profissão, nunca ninguém se tinha referido a algo de que sou profissionalmente o primeiro responsável de forma tão vil, tão indigna, tão mal educada, tão desrespeitosa para quem, como nós, naquela casa, tentamos lutar contra tantas arbitrariedades num concelho cronicamente difícil para os órgãos de comunicação social…
Em quatro intensos anos de trabalho no EF já houve outros momentos desagradáveis, não muito diferentes deste, nos quais no sentimos ofendidos, mas confesso que ninguém tinha descido tão baixo… Pergunto a mim mesmo se não terá sido a gota que fez transbordar o copo?
É nestes momentos que nos apetece largar tudo, tantos têm sido os episódios em que nos sentimos a mais, mesmo junto de algumas pessoas que pensávamos serem nossas amigas e que hoje estão acometidas de inusitadas deslembranças.
Por tudo isto, olho para Felgueiras e remeto-me por estas horas a momentos de reflexão nos planos profissional e pessoal…
03.12.09

> 40 anos de carreira!!! Parabéns Pedro Barroso

Armindo Mendes

Hoje, 4 de Dezembro, completam-se os 40 anos da carreira de um grande senhor da música portuguesa – Pedro Barroso.
Parabéns Pedro, pela coerência, pela coragem de querer e ser diferente neste país tantas vezes hipócrita, que teima em não reconhecer os que seriam credores do justo tributo, O Pedro Barroso é um deles!

Compositor e cantor, Pedro Barroso é dono de uma voz impressionante e uma sensibilidade musical que já muitas vezes me surpreendeu.

Tenho vários discos dele, mas é ao vivo que o Pedro chega mais alto.

Já assisti a concertos do Pedro Barroso em Paredes, Penafiel, Amarante, Castelo de Paiva e Montalegre.

Foram todos muito bonitos, mas o das terras transmontanas foi o mais intenso. Estava um frio de rachar, mas as palavras sábias e ternas do Pedro e as suas músicas, as suas letras, aqueceram-nos a alma…

Tem muitas canções lindas, de além e aquém Tejo, mas o tema "Menina" é e será um dos mais especiais... Parabéns trovador!

03.12.09

> Sim, Rodrigo Leão tem alma, tem classe!!!

Armindo Mendes






Ouvir e sentir a música de Rodrigo Leão é muito especial. Faço-o desde o tempo em que ainda integrava os Madredeus.


Já o vi e ouvi actuar várias vezes, nomeadamente em Santa Maria da Feira, Guimarães e Fafe. São sempre momentos que nos ficam na memória, porque têm alma, como todas as suas lindas composições, às vezes tão sublimes, às vezes tão brutais nas sensações lindas que nos abalssamam a alma..

Acompanho a sua carreira há alguns anos e os seus discos, apesar de diferentes entre si, têm em comum uma musicalidade que nos conquista os sentidos, algures entre o clássico e o contemporâneo…

Aos que o não conhecem ainda e gostam da boa música portuguesa, recomendo vivamente o músico Rodrigo Leão, sempre muito bem acompanhado por grandes vozes, sobretudo femininas.

O seu último trabalho – Mãe – é grandioso.
Mas "Pasión","Cinema" e o "Mundo" são também magníficos...


03.12.09

> De novo os Barclay James Harvest

Armindo Mendes
Na adolescência, às vezes até na companhia do meu saudoso pai, ouvia muito os Barclay James Harvest, uma banda britânica que durou quase 30 anos!!!
Eu coleccionava os discos de vinil dos BJH, que ainda hoje preservo quase religiosamente. Hoje tenho-os quase todos também em CD e até alguns DVD`s.
A sua música era cândida, simples, de um rock sinfónico, melodioso, em que emergiam letras profundas, recheadas de mensagens que nos remetiam para a meditação em torno da sociedade que temos... Ficaram célebres entre os seus fans algumas baladas, das mais bonitas que já ouvi, como Child of the univers, Silver Wings, Kiev, ou How do you feel now, entre outras.
Como saberão alguns dos meus amigos desse tempo, no final dos anos 70, durante os 80 e princípios dos 90 os Barclay foram porventura a minha banda preferida, apesar de, para grande tristeza minha, nunca ter sido muito conhecida em Portugal.
É difícil escolher as minhas músicas preferidas. Esta – Mockingbird – é uma das mais antigas, ainda dos anos 70… Mostro esta canção, porque acho que traduz um pouco do que disse há pouco: simples, intensa, mas muito melodiosa…



03.12.09

Bravehearth, de Mel Gibson

Armindo Mendes


... Vi este enorme filme, um épico, há não sei quantos anos, seguramente muitos… Foi curiosamente no Alentejo (Vila Nova de Milfontes), quando ali passava férias. Era ainda pouco mais do que um adolescente.

Adorei quase tudo no filme, em especial as imagens fantásticas da Escócia, o grito de liberdade de um povo oprimido associado a uma história de amor arrepiante e uma banda sonora das mais grandiosas que alguma vez ouvi num filme. Arrepiante em muitos momentos, em muitos sentidos…

Já vi o filme várias vezes, também em DVD, sobretudo os primeiros 20 minutos, que são muito bonitos. Se puderem, experimentem ouvir num bom equipamento dolby digital 5.1 e dar-me-ão razão.

Aguardo ansioso o lançamento em Blu-ray… Deve ser arrebatador…